Batman versus Vampiros – por Adriano Siqueira

Batman X Vampiros

por Adriano Siqueira – www.adoravelnoite.com

Fonte: Coleção de Adriano Siqueira

Em 18 de maio de 1939 a revista “Detective Comic Magazine” lançou a primeira história do Batman. Está época era considerada “A Era de Ouro dos quadrinhos”.

Muitos heróis foram criados naquela época. Flash Gordon, Mandrake e Superman.

Faziam apenas pouco mais de uma década quando a bolsa de Nova York faliu. 1928 e Havia os gangsters que dominavam Chicago o povo americano estava na miséria e sem esperanças. Tinha muitos suicídios e muitos ladrões nas ruas.

Este heróis foram criados para trazer um pouco de esperança. Criados para combater o mal. Isso dava mais confiança e entretenimento para amenizar os problemas reais.

O criador do Batman, Bob Kane, usou como base para criar o personagem, os desenhos do homem-morcego voador do Leonardo da Vinci, histórias de detetives e o Zorro.

A Editora pediu para o Bob Kane fazer um herói humano e mais realista enfrentando os problemas da cidade. Como naquela época a Actions Comics eram as detentoras dos direitos do Superman. A Dectetive Comics era o seu concorrente.

A história foi um sucesso e Batman enfrentou muitos bandidos. Porém o seu jeito sombrio acabava assustando demais para um entretenimento infantil. Bob Kane era muito influenciado pelas histórias de terror que adorava. A editora acabou por forçá-lo a fazer histórias menos violentas e em pouco tempo Bob Kane criou o parceiro do Batman, Robin.

Com este equilíbrio perfeito o Batman foi aclamado pela mídia e em 1943 a dupla dinâmica aparece nas matinês em trinta episódios produzidos pela Columbia até 1949. O primeiro episódio se chamava “O morcego” Direção de Lambert Hillyer. Elenco: Batman (Lewis Wilson), Robin (Douglas Croff). Este episódio foi realizado em plena Segunda Guerra e o vilão era um espião japonês chamado Dr. Daka.

O Segundo seriado o nome era “A Volta do Homem-Morcego” – Batman and Robin – Direção Spencer Bennet. Elenco: Batman (Roberto Lowery), Robin (John Ducan)

Mas os aficionados pelos gibis não gostaram nada da versão para o cinema. As roupas e o porte físico dos heróis eram muito distantes dos quadrinhos e as histórias eram muito inferiores. Isso acabou com a sua era no cinema.

Na década de 60 a série do Batman mostrou que um herói sombrio pode ser muito engraçado. O destaque deste seriado eram os vilões e os cenários sempre desnivelados e muito carregado de Pow! Boing! Crash! Para lembrar os quadrinhos.

Mas o Batman que todo muito adora mesmo é o dos quadrinhos. Grandes desenhistas e suas inovações com o personagem, deram ao herói até status de líder da Liga da Justiça.

Suas histórias tornaram-se exemplo de atualização e criatividade nas HQs mundiais. O primeiro passo gigantesco nas histórias do Batman foi dado por Frank Miller com a famosa história “O Cavaleiro das Trevas”. Está historia deu início ao terrível assassinato do Robin. Foi através dela que Jim Aparo e Jim Starlim fizeram a história “ Morte em família” decretando a morte do seu parceiro. Brian Bolland também deixa a sua marca nas tragédias do homem-morcego com a história “ Piada Mortal” Onde o Coringa deixa a Batgirl Paraplégica.

As histórias, “O Messias” e “O filho do Demônio” mostram que nem sempre os crimes tinham uma solução lógica.

O sobrenatural também estava presente na vida do nosso herói.

Foi através das histórias sobrenaturais que finalmente os Vampiros aparecem na vida do Batman.

Existem muitos pontos em comum entre o Batman e os Vampiros. Batman mora em cavernas como no filme The Lost Boys (Os Garotos Perdidos) Tem uma roupa do estilo do Bela Lugosi no filme Drácula de 1931. Vive rodiado de morcegos e suas histórias geralmente acontece de noite. “O cavaleiro da trevas” tem o toque do Conde Drácula de quando era um guerreiro antes de se transformar em vampiro. Solitário e sempre escondendo o seu lado sombrio. Bruce Wayne é tão cavaleiro como o Conde Drácula de 1979.

Nos desenhos da década de 70, Batman lutou, junto com os superamigos, duas vezes contra os vampiros e em um dos episódios chegou a se transformar em um.

Quando Batman retornou ao cinema em 1989 o gótico diretor Tim Burton mostrou muitas faces de vampiros no filme. A mais descarada coincidência acontece na cena em que o Batman leva Vick Vale para a sua Bat-caverna e diz que tem mais alguma coisa para dizer, ele levanta a sua capa e a cobre como nos antigos filmes de vampiros.

Em 1988 A revista Super Powers nº 8 da Editora Abril trás Batman e Super-homem lutando com uma vampira chamada Luar. A vampira acredita que o Batman é da sua família de vampiros. Com o argumento de John Byrne, desenhos de Arthur Adams, e Arte-final de Dick Giordano.

Na década de 80 surgiu, lá fora, a história “Coração de Vampiro” com a arte de Mark Grell (o guerreiro) aqui no Brasil lançado pela Opera Gráfica em 2003. Conta a história de um vampiro que não morre com uma estaca no coração.

Em 1992 a Editora Abril mostra em 3 partes a história Batman x Drácula de Doug Moench, Kelley Jones, Malcolm Jones III e Lês Dorscheid.

No Brasil em 2001 a Editora Mythos lança, em duas partes, a história “Tempestade de Sangue” que traz uma das aventuras mais sangrentas do Batman. É nesta história que ele vira um vampiro e morre pelas mãos do comissário Gordon. Novamente argumentada por Doug Moench, com desenhos de Kelley Jones, Arte-final John Beatty.

Produzido na seqüência e com o mesmo pessoal só que com a capa de Luke Ross a mesma editora lança a continuação da história em duas partes chamada de “Bruma Escarlate” onde o Alfred e o Gordon revivem o Vampiro-Batman para acabar com o mal em Gotham City.

Contagiado por esta “aliança” com Vampiros e Batman Em 2005 a Wanner lançou o desenho Batman x Drácula. Neste desenho os dois personagens mostram muitas coisas em comum.

É, sem dúvida, o desenho mais violento do Batman. Imperdível para os fãs.

No mesmo ano, Batman voltou para o cinema, trazendo muito de sobrenatural enfrentando o famoso vilão, o Espantalho. Para não deixar sombras de dúvidas para os aficionados por morcegos, os produtores contratam Gary Oldman para fazer o papel do Gordon, ele é o mesmo ator que fez Drácula de Francis Ford Coppola 1992.

Recheados de efeitos especiais Bruce Wayne tem uma verdadeira “amizade” com os morcegos da sua Bat-caverna. E no final o próprio Espantalho vê o Batman como um verdadeiro vampiro.

Mas, uma coisa é certa, eles são imortais.

Adriano Siqueira

siqueira.adriano@gmail.com

www.adorávelnoite.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...