Quadrinhos

Mendigo S/A na Casa Cor Campinas

O Mendigo S/A participa da primeira edição da Casa Cor Campinas, que acontece no casarão da antiga Fazenda Mato Dentro, situado no Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim, entre os dias 28/08/2009 a 06/10/2009.

A obra do Mendigo S/A está em exposição no ambiente HISTÓRIA DO CASARÃO, onde as arquitetas Melissa Oliveira e Flávia Nogueira realizaram um trabalho de valorização da histórica e do patrimônio cultural. No corredor denominado GALERIA BURLE MARX, foram expostas obras de vários artistas para homenagear o paisagista Burle Marx.

Para a exposição, Raul e Pablo se aventuram em um passeio pelo parque, discutindo a vida e o trabalho do paisagista. Para a elaboração do roteiro, o cartunista Tietê realizou uma pesquisa sobre Burle Marx, para contar os principais acontecimentos na carreira e utilizar as passagens curiosas para criar o lado humorístico da história, sempre com o cuidado de permanecer fiel aos fatos.

O desafio foi criar um roteiro mais longo que o de costume, pois tradicionalmente as tiras de jornais possuem três cenas, mas para a exposição foi necessário pensar em uma história maior, exigindo uma seqüência de leitura entre as tiras.

O cartunista se inspirou em dois episódios dos desenhos do Pato Donald, um que contava a Origem da Música e a outra explicava a Proporção Áurea, ambos mesclando fatos históricos, matemática e muito humor no roteiro.

Junto ao Mendigo S/A, estão trabalhos de vários artistas, da escola de desenho Pandora, de Campinas. Os trabalhos são caricaturas, ilustrações, design e releituras, que completam a homenagem a Burle Marx.

Conheça outras histórias de Mendigo S/A em http://www.mendigo-sa.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Castrinho
Publicitário, estrategista de conteúdo, contador de histórias, organizador do Concurso Hydra de Literatura Fantástica Brasileira e coorganizador dos eventos Fantasticon e Sarau Fantástico.
http://castrinho.com.br

One thought on “Mendigo S/A na Casa Cor Campinas”

  1. Embora, Burle possa pecar ante os ambientalistas e os culturalmente conservadores, é de ousadia, de dissonâncias, de sustenidos e versos brancos, assimétricos às vezes, que se fazem as obras de arte….e em bora Deus seja simétrico em muita coisa em sua obra, se repararmos nos detalhes veremos que há mais assimetria e poesia em tudo, do que simetria, a começar pela Terra – redonda, mais achatada. Estou certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.