literatura

[LITERATURA] Kimaera – Dois Mundos (Helena Gomes)

A escritora Helena Gomes, autora de Lobo Alpha e da saga A Caverna de Cristais, lança Kimaera – Dois Mundos, pela editora Jambô.

Kimaera mergulha no universo da literatura fantástica para contar duas histórias interligadas que se desenvolvem em mundos diferentes e simbolicamente opostos. No primeiro deles, um mundo de clima árido e quente, está a jovem Ytsar, uma escrava que sonha com a liberdade, apesar de viver em uma rígida sociedade patriarcal. No segundo mundo, um lugar gelado e de características medievais, está Aleph, um rapaz que busca um sentido para sua vida numa sociedade cansada do domínio opressivo dos batalhões.

Há uma profecia que atingirá os dois mundos: o retorno de Kimaera, um mundo de luz perdido no princípio dos tempos quando o masculino e o feminino se separaram. Este despertar, porém, terá como conseqüência a terrível ameaça trazida pela escuridão.

Kimaera investe numa trama repleta de reviravoltas, com elementos de ação, suspense, mistério, humor e romance numa mistura na medida certa para leitores que gostam de um bom livro de aventura. Além disso, suas entrelinhas trazem um mergulho nas religiões antigas, nos registros do nosso inconsciente coletivo e nos anseios que integram a natureza humana. Todos nós, no fundo, sonhamos com o Paraíso. Sonhamos com quimeras. Sonhamos com Kimaera.

… … …

A edição número 25 da revista Dragon Slayer traz com exclusividade os dois primeiros capítulos do livro. A segunda edição dessa saga, intitulada Kimaera – Guerreiros da Luz, está prevista para ser lançada em 2010 também pela editora Jambô.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Castrinho
Publicitário, estrategista de conteúdo, contador de histórias, organizador do Concurso Hydra de Literatura Fantástica Brasileira e coorganizador dos eventos Fantasticon e Sarau Fantástico.
http://castrinho.com.br

One thought on “[LITERATURA] Kimaera – Dois Mundos (Helena Gomes)”

  1. A cada lançamento nacional de literatura fantástica sou invadido por uma ebulição de felicidade. Nós, que oficiamos no que é considerado por muitos sub-literatura, podemos não almejar adentrar o tal do cânone. Mas temos nossas mídias, e podemos ser apreciados pelo menos por nossos confrades fantásticos.

    Abraço a todos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.