Resenha de O Nevoeiro – filme baseado na obra de Stephen King

Mist_000

O fim da humanidade

O Nevoeiro de Frank Darabont se destaca como um dos filmes de terror mais assustadores dos últimos anos, e também um excelente estudo sobre o ser humano.

Ficção científica e terror sempre andaram de mãos dadas no cinema como excelentes estudos sociais transpostos para as telas. Filhos da Esperança (Children of Men , EUA, 2006) de Alfonso Cuarón narra um futuro onde as mulheres não podem ter mais filhos, e analisa de maneira incrivelmente realista o que acontece quando se destrói as bases fundamentais da sociedade.Mist_003

O não tão popular A Vila (The Village, EUA, 2004) de M. Night Shyamalan é um estudo social com elementos de horror, quando uma pequena vila situada na Philladelphia começa a ser ameaçada por sinistras criaturas que vivem na floresta próxima.

Mais recentemente, Distrito 9 (District 9, EUA/AFR, 2008) conta a história de alienígenas que pousam sobre a capital da África do Sul, e imediatamente são separados da sociedade e colocados em favelas, fazendo uma analogia ao apartheid que ocorreu também na África do Sul durante os anos de 1948 e 1994.

Já o escritor Stephen King, um dos mais populares autores de terror e literatura sobrenatural, teve sua última adaptação realizada por Frank Darabont em 2007. Darabont que já havia se mostrado como um dos melhores – senão o melhor – adaptadores de Stephen King ao dirigir clássicos como Um Sonho de Liberdade e À Espera de um Milagre voltou-se para uma das mais brutalmente assustadoras produções do terror sobrenatural contemporâneo com O Nevoeiro (The Mist, EUA, 2007).

Em O Nevoeiro, habitantes de uma pequena cidade se encontram confinados dentro de um supermercado, quando seu entorno é cercado de um intenso nevoeiro. Existem coisas lá fora, criaturas vindas de um universo paralelo, cujo objetivo nesta terra é usar seus habitantes como comida.

É neste contexto que David Drayton (Patrick Jane) tenta salvar seu filho Billy (Nathan Gamble) e o restante das pessoas do supermercado, das forças ocultas atrás da névoa. Entretanto, em seu caminho, há uma histérica religiosa fundamentalista chamada Mrs. Carmody (Marcia Gay Harden em uma atuação assustadora) que começa a unir uma congregação própria, para aguardar o apocalipse.

Mais doMist_001 que um suspense de tirar o fôlego e grudar o espectador na cadeira, O Nevoeiro é, além de tudo, um interessantíssimo estudo sobre o comportamento humano: quando as fundações da sociedade e governo são derrubadas e o medo começa a tomar conta de tudo, as pessoas regridem aos seus instintos mais primitivos e se voltam para aquela única pessoa que possa lhes providenciar segurança.

Incapaz de ficar no supermercado, ou de enfrentar as criaturas de dentro do nevoeiro, David tem uma escolha difícil a fazer para salvar a vida de seu filho. Eliminar seus últimos traços de humanidade ou encontrar uma maneira de partir. Qualquer que seja sua decisão, ela fará com que o suspense aumente de maneira quase insuportável. Conforme as mortes das pessoas do supermercado vão tornando-se cada vez mais horrorosas, a narrativa se dirige a um dos clímaces mais chocantes de todos os tempos.

Há então, uma deturpação de todas as bases fundamentais da sociedade. Do próprio conceito de humanidade em si, representado pela revolta dos habitantes da cidade contra si mesmos, da religião, representada pela personagem de Marcia Gay Harden, e até mesmo dos conceitos que reinam nosso mundo moderno como a beleza, quando o rosto de uma das personagens é grotescamente deformado pela picada de uma das criaturas.

Desta forma, O Nevoeiro se destaca não somente como uma das produções mais assustadoras dos últimos anos, mas como uma surpreendente análise da humanidade em citações limite. Afinal, a coisa mais assustadora que se pode enfrentar nunca está do lado de fora, mas sim do lado de dentro.

Confira abaixo o trailer do filme.

Trailer de O Nevoeiro (legendado)

Roberto Fideli é estudante de Jornalismo na Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero. É filho de Roberto de Sousa Causo e Finisia Rita Fideli, escritores de ficção científica. Já publicou na Revista Laboratorial Esquinas, pertencente à fundação Cásper Líbero e possui o blog www.cinefilosetc.blogspot.com desde agosto de 2010, onde trata de cinema e literatura.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...