[RESENHAS] Lordes de Thargor – O Vale de Eldor (Roberlândio Pinheiro)

No final do ano passado, durante o segundo encontro Fontes da Ficção, recebi diretamente das mãos do autor Roberlândio A. Pinheiro, seu primeiro livro de fantasia, Lordes de Thargor – O Vale de Eldor. E já de cara o livro impressiona pela qualidade gráfica, linda arte da capa e marcador de páginas personalizado com a arte do livro.

Bem, após algum tempo sem ler nada relacionado a literatura fantástica, devido a quantidade de livros e artigos que tive que ler para escrever meu artigo científico para o Intercom, retomei a leitura de Lordes de Thargor e achei realmente fantástico.

LdT conta narra as peripécias do jovem Deiv Martins, que vive com a mãe no subúrbio de São Paulo e tenta se acostumar com a rotina de trabalho após várias mudanças repentinas. O começo do livro não conta nada de fantástico ou especial, apenas descreve a vida do jovem, em busca de destaque em seu trabalho e sua vida ao lado da mãe.

Mas, num certo ponto dessa narrativa, Deiv vê uma estrela cadente cair sobre a colina atrás de sua casa, lugar onde ele passa parte de seu tempo de descanso e devaneios. Tomado pela curiosidade, o jovem vai até o local da queda e lá encontra um pequeno talismã feito de metal escuro que vai mudar sua vida drásticamente. Deiv percebe o surgimento de uma imagem mostrando uma sereia azul e nem imagina que por trás daquela bela visão esconde um antigo segredo.

Na mesma noite em que encontra o objeto, Deiv é atacado por uma estranha criatura de asas negras que arranca o telhado de seu quarto e quase mata sua mãe, quando ela tenta ajudar o filho. Mas para sorte do garoto, um outro estranho ser, um guerreiro de pele azulada e vestindo capa e armadura salva sua vida ao confrontar o estranho monstro.

Seu salvador é Hariél e junto com ele Deiv conhece Namesin, um mago anão. O garoto descobre que o objeto que encontrou é a Pedra de Zhar, um antigo amuleto de poder, proveniente do mundo de Thargor, a terra de onde  os seres que o ajudaram vieram. Deiv parte então para a missão de salvar o mundo.

Claramente vemos que o autor tentou fugir da clássica fantasia de Tolkien e que diferentemente de outras histórias de fantasia, é o mundo fantástico que vem a Terra e não o protagonista que vai a terra de fantasia. A linha de raciocínio da trama se parece um pouco com a encontrada no filme Os Seis Signos da Luz, onde um jovem torna-se uma espécie de guardião e é auxiliado por criaturas fantásticas. Esse mesmo raciocínio remete ao antigo filme A História sem Fim, clássico do cinema.

A trama ainda traz centauros, dragões e o povo felino Ilmory.

Rober Pinheiro tem em mãos um universo bem interessante e rico em detalhes e histórias fantásticas. O livro tem uma história fechada, com começo, meio e fim, mas deixa ótimos ganchos para que os mistérios de Thargor sejam novamente evocados e novas obras possam surgir. A trama é muito bem escrita e os personagens bem construídos e detalhados.

Para saber mais sobre o mundo de Thargor acesse o blog do autor http://lordesdethargor.blogspot.com.

Publicitário, estrategista de conteúdo, organizador do Concurso Hydra de Literatura Fantástica Brasileira e coorganizador dos eventos Fantasticon e Sarau Fantástico.

Twitter LinkedIn Google+ 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...